Um blog do Travellerspoint

Egito

Dia 15 - Dahab - Cairo

sunny 33 °C

Último dia no Egito e penúltimo de férias !!!

Acordei cedo, pois queria aproveitar ao máximo.

Antes de mais nada, fui tirar dinheiro, pois tinha apenas 10 libras (R$3) na carteira. Achei um caixa eletrônico empoeirado de um banco egípcio. Eu tinha certeza absoluta que meu cartão de débito do Banco do Brasil (Visa Eletron) não ia funcionar naquele caixa. Bem, tentar não tira pedaço. Coloquei meu cartão, solicitei 300 libras e digitei a senha. Em poucos segundos, para minha surpresa, apareceu "TRANSACTION ACCEPTED" e o dinheiro saiu como num passe de mágica !!! Viva a tecnologia ! No meio do deserto, a milhares de kilômetros de casa, consegui sacar dinheiro em moeda local direto da minha conta no Brasil em poucos segundos !!!

Fui fazer mais dois mergulhos. O Sascha preferiu fazer um passeio de jeep pelo deserto para conhecer uma tribo de Beduínos.

O primeiro mergulho foi na praia onde tínhaos ido no dia anterior, num lugar conhecido como "The Lighthouse". O megulho foi ótimo, vi muitos tipos de peixe , tartarugas e corais.

O segundo mergulho foi no lugar conhecido como "Eel Garden". A princípio, o mergulho não parecia ser muito atrativo, pois não tinha muitos peixes, nem corais. Mas logo depois veio a surpresa: do fundo do mar brotaram umas minhocas, que na verdade eram enguias (daí o nome do lugar, que em inglês significa "Jardim de Enguias"). A medida que a gente se aproximava, as enguias entravam na areia e sumiam. A gente se afastava, e elas saíam de novo. Eram muitas, a perder de vista. Parecia mesmo um jardim. Muito maneiro !!!

eel_garden.jpg

Voltei para o hotel e encontrei com o Sascha, que já tinha voltado do passeio.

Estava chegando a hora de partir. As 19h me despedi do Sascha, que ia continuar a viagem dele de volta ao mundo durante mais 4 meses.

Peguei um translado até o aeroporto da cidade de Sharm-el-Sheikh, a maior da península do Sinai, a 1h de estrada. Fiquei no aeroporto esperando o vôo até 23:30.

No banheiro do aeroporto, uma das coisas mais irritantes do Egito: o assédio ao turista. Sim, até no banheiro !!! Ao entrar lá, um picareta de plantão na porta me ofereceu um pedaço de papel. Já tinha sido alertado sobre estes picaretas de banheiro. Eu podia recusar, mas aceitei só de raiva, porque tinha certeza que ele ia cobrar pelo papel. Lavei as mãos e ao sair, dei uma moeda de 10 centavos de libra (não valia praticamente nada). Ele fez uma cara !!! Mas não tenho medo de cara feia.

O vôo da Egypt Air até o Cairo durou menos de 1 hora. Fiquei meio bolado, porque o avião fazia uns barulhos esquisitos, parecia que ficava estalando. Era um Boeing que parecia mal conservado. Mas correu tudo bem. Cheguei meia-noite no Cairo, e fiquei fazendo hora no aeroporto até as 7 da manhã (uma maravilha...chá de cadeira, e mais uma noite virada), quando meu o vôo da Air France para Paris decolou.

Publicado por alexpt 14:00 Arquivado em Egito Comentários (0)

Dia 14 - Dahab

sunny 32 °C

Quinto dia no Egito, quinto dia de sol e céu azul sem sinais de nuvens !!! Aliás, na Grécia foi a mesma coisa. Ou seja, 14o dia seguido de sol !!!

Fomos pegar uma praia.

O calçadão num trecho mais afastado, onde não tem mais hotéis ou restaurantes:

Europa_2007_560.jpg
Europa_2007_562.jpg

O mar azul-turquesa parece até Caribe !!!

Europa_2007_570.jpg
Europa_2007_571.jpg

Este é o Magic Lake, um pequeno lago perdido entre o deserto e o mar. Paisagem surreal !!!

Europa_2007_574.jpg
Europa_2007_576.jpg

Onde o mar encontra o deserto...

Europa_2007_577.jpg
Europa_2007_581.jpg

Vida chata !!!

Europa_2007_586.jpg

Passamos a tarde na praia. Não tinha ninguém !!! A praia era só nossa !

Logo depois, chegaram várias vans cheias de turistas europeus da terceira idade, e invadiram nossa praia. Hora de partir !

A noite, fomos comer num restaurante na beira da praia. Aproveitamos pra fumar um Narguilê de menta ! A comida estava muito boa (peixe com uma sopa de entrada), e foi muito barato (algo próximo a R$15)

8DSC01705.jpg
DSC01702.jpg

Demos umas voltas pelo calçadão e pelos dois únicos bares da cidade, mas estavam muito fracos. O movimento de turistas na cidade ainda não tinha se recuperado após o atentado de 2006. Fomos dormir cedo para aproveitar o último dia em Dahab.

Publicado por alexpt 14:00 Arquivado em Egito Comentários (0)

Dia 13 - Dahab

sunny 33 °C

Acordamos tarde (10h). Dormimos looongas 11h de sono.

A pousada era show de bola para o preço, inacreditáveis R$17 a diária para cada um.

Europa_2007_515.jpg
Europa_2007_516.jpg
Europa_2007_517.jpg
Europa_2007_518.jpg

Tomamos café da manhã na beira da piscina.

Na pousada havia uma operadora de mergulho. Dahab é conhecida por ter excelentes pontos de mergulho, e tem dezenas de operadoras. Como já tinha 3 anos que eu não mergulhava, fiz um curso teórico de reciclagem da PADI (conhecido como PADI Open Water Diver Review). O instrutor era egípcio, e entender o inglês dele foi bem sinistro. O pior é que o nome dos equipamentos de mergulho em inglês é bem diferente. O único equipamento que tem nome igual é o octopus. Mas a gente se entendeu. Fiz o curso de 1h, uma provinha rápida, e já estava preparado para fazer o primeiro mergulho no Mar Vermelho !!! O Sascha não tem carteira da PADI e não pôde mergulhar.

Comprei um pacote com 2 mergulhos, translado de jipe e aluguel completo de equipamento por apenas 35 euros !!! Muito mais barato que no Brasil !

Saímos de jipe em direção ao Canyon, um dos muitos pontos de mergulho de Dahab.

Europa_2007_519.jpg
Europa_2007_523.jpg
Europa_2007_526.jpg
Europa_2007_530.jpg

Para mergulhar em Dahab, não é necessário barco. Os pontos de mergulho são todos na praia.

Europa_2007_533.jpg

Com Said, o dive master egípcio da operadora, que mergulhou comigo:

Europa_2007_536.jpg

O mergulho foi muito maneiro. Água cristalina e quente (28 graus), visibilidade acima de 10m, vida marinha abundante, corais espetaculares !

canyon.jpg

Pegamos o jipe novamente com destino ao famoso Blue Hole, o ponto de mergulho mais famoso de Dabab.

Camelo no caminho:

Europa_2007_540.jpg

Um vídeo que gravei no jipe:

O Blue Hole é um lugar incrível, único no mundo. A poucos passos da areia, um enorme buraco de 130m de profundidade que atrai multidões de mergulhadores de vários países. Este é um dos lugares mais perigosos do mundo para mergulhar. O motivo disso é uma passagem (conhecida como "the arch") a 52m que é uma verdadeira armadilha, mesmo para mergulhadores experientes. Esta passagem liga o buraco para o mar aberto. O problema é que a profundidade máxima para mergulho recreacional é de 40m. Em profundidades maiores, o mergulhador começa a sentir os efeitos da narcose por nitrogênio (causada pela alta pressão do ar respirado do cilindro), deixando-o com sintomas semelhantes à embriaguez, o que é extremamente perigoso num mergulho. Mais de 50 mergulhadores já morreram no Blue Hole por terem desrespeitado o limite de 40m de profundidade. Mas os mergulhadores que respeitam os limites da PADI não correm risco algum.

O Blue Hole visto de cima:

Dahab-Blue-Hole.jpg

Entrada do Blue Hole a partir da praia:

Europa_2007_542.jpg
Europa_2007_543.jpg

Me preparando para mergulhar com Said, o dive master da operadora de mergulho:

Europa_2007_554.jpg
Europa_2007_555.jpg

O mergulho foi espetacular ! O Blue Hole é tão profundo, que não dava para ver o fundo do mar. O paredão de corais descia até o infinito azul. Peixes de todos os tipos e tamanhos passavam entre a gente. Sensacional !!!

blue_hole.jpg

Almoçamos num pequeno restaurante para mergulhadores. Comi um prato típico egípcio, arroz com frango desfiado e um molho picante.

Europa_2007_548.jpg

O Senhor Camelo posando para foto:

Europa_2007_549.jpg

A praia e os restaurantes:

Europa_2007_553.jpg

O memorial aos mergulhadores que morreram no Blue Hole:

Blue_hole_memorial.jpg

Voltamos pra pousada, tomamos um banho, e fomos numa lanchonete perto do hotel. Comemos falafel no pão árabe. Tomei um suco de algo que não lembro o nome, mas era muito bom, imagino que seja alguma fruta típica de lá.

Europa_2007_559.jpg

A noite, fomos tomar uma cerveja num bar na orla. Tinha DJ e uma pista de dança, mas estava bem fraco, devia ter uns 5 homens para cada mulher. Faz sentido: as mulheres egípcias não saem à noite, mas os homens de lá saem. Moral da história: as poucas mulheres na pista eram as estrangeiras, disputadas a tapa pelos homens egípcios e estrangeiros. As gringas gordinhas ficavam se achando !!! É a lei do mercado. Jogar nestas condições não dava. Era como jogar bola num time de 2, contra um time de 10. Não ficamos nem meia hora lá ! Fomos dormir cedo pra aproveitar melhor o dia seguinte !!!

Publicado por alexpt 14:00 Arquivado em Egito Comentários (1)

Dia 12 - Cairo - Dahab

sunny 32 °C

Acordamos cedo pra caramba (5:30 da manhã) e pegamos um taxi para a rodoviária.

O ônibus partiu às 7h com destino a Dahab, na Peninsula do Sinai, a 610Km de distância. Banhada pelo Mar Vermelho, a principal atração da cidade são as praias com mar azul-turquesa e lugares perfeitos para mergulhar, algo que não fazia há 3 anos.

Este foi o trajeto da viagem:

viagem_onibus_egito.jpg

Estávamos um pouco apreensivos sobre o ônibus, mas até que ele era bom, pelo menos tinha ar condicionado e banheiro (mas era imundo). Entre os passageiros, somente nós e um casal de americanos eram ocidentais. Fomos assistindo um filme egípcio horroroso, era quase "cine trash", e para complicar mais, sem legendas em inglês.

Europa_2007_471.jpg

O ônibus demorou cerca de 1h para sair da cidade, devido ao trânsito pesado. Depois de kilômetros de favelas, estávamos na imensidão do deserto do Sahara. Logo depois passamos por um túnel por baixo do Canal de Suez e entramos na Península do Sinai. O ônibus parou numa lanchonete na estrada, onde compramos água e biscoitos.

Europa_2007_473.jpg
Europa_2007_474.jpg

A estrada foi beirando o mar, que era azul-turquesa !!!

Europa_2007_478.jpg
Europa_2007_479.jpg

Algo me chamou muito a atenção: passamos por várias blitz na estrada. Foram umas oito. Os policiais entravam no ônibus e pediam os documentos para todos os passageiros. Em todas as blitz pelo menos um passageiro foi retirado do ônibus e levado pela polícia. O governo egípcio faz um grande esforço para combater o terrorismo, e estas blitz fazem parte da fiscalização. Todos os suspeitos são levados pela polícia e interrogados. Em abril de 2006 (pouco mais de um ano antes da viagem), um atentado terrorista em Dahab matou 18 pessoas e feriu 62. Em 2005, um atentado do Al Qaeda em Sharm-el-Sheik, também na Península do Sinai, matou 90 e feriu 150 pessoas.

A viagem foi bem cansativa. Durou 9h até Sharm-el-Sheik, que é a Cancún das Arábias, uma cidade cheia de resorts de luxo e por isso mesmo, um lugar caro para mochileiros. A maioria dos passageiros desceu lá. Até Dahab foi mais 1h de viagem, totalizando 10h de estrada.

A paisagem desértica da Península do Sinai:

Europa_2007_481.jpg

Entrada de Dahab:

Europa_2007_482.jpg

Finalmente chegamos. Ao descer do ônibus, nós e o casal de americanos fomos cercados por vários guias-picaretas que queriam oferecer hospedagem. Todos falavam ao mesmo tempo. Fomos disputados a tapa, literalmente. Tentamos sair dali rapidamente, mas não adiantou, pois eles foram atrás da gente e continuavam tentando nos convencer a ir com eles conhecer as pousadas. Não tivemos muita alternativa. Fizemos como os americanos: pulamos em cima da caçamba da pick-up de uma das pousadas e fomos conhecê-la para ver se prestava.

Foto tirada em cima da caçamba da pick-up, a caminho da pousada:

Europa_2007_485.jpg

Chegando lá, vimos que não valia a pena, pois não tinha ar condicionado, algo impensável no Egito. Pelo menos ganhamos translado gratuito da rodoviária para a rua principal da cidade, onde ficam as pousadas !!!

Fomos ver mais outra pousada, e também não gostamos muito, pois o quarto estava com infiltração e com cheiro de mofo.

A terceira pousada (Octopus Hotel) era beeeem melhor, a apenas uma quadra da praia, ar gelando, piscina e tinha um aspecto bem melhor. Fechamos por apenas 100 libras a diária em quarto duplo (R$33 o quarto, ou R$17 pra cada um !!!), uma verdadeira pechincha, e isso incluindo café da manhã !

Tomamos um banho e fomos dar uma volta pelo calçadão.

Dahab é banhada pelo Golfo de Aqaba, uma das ramificações do Mar Vermelho. Na praia dava para ver no horizonte as montanhas da Arábia Saudita, no outro lado do Golfo (a 20Km de distância).

Europa_2007_486.jpg

Muitos restaurantes à beira mar !

Europa_2007_487.jpg

Este restaurante, no lugar de cadeiras e mesas, tinha almofadas !

Europa_2007_495.jpg

Mais fotos da orla:

Europa_2007_499.jpg
Europa_2007_501.jpg
Europa_2007_507.jpg

Este bar era uma das poucas opções de diversão noturna em Dahab:

Europa_2007_502.jpg

Dahab tem uma rua de pedestres com muitos restaurantes e lojas de souvenir.

Uma loja só de nargulês:

Europa_2007_512.jpg

Fomos comer num restaurante de comida típica egípcia. Pedimos um frango com sopa, arroz, pão árabe e legumes. Veio tudo separado em potinhos de alumínio. Custou apenas 17 libras (R$5,50) !!!

Europa_2007_513.jpg
Europa_2007_514.jpg

A cidade estava toda meio vazia, considerando que agosto é altíssima temporada para americanos e europeus. Restaurantes, bares, hotéis, calçadão, tudo vazio. Os turistas praticamente desapareceram de Dahab depois do atentado de 2006. Passado um ano, eles começaram a voltar aos poucos, mas ainda eram poucos os corajosos como nós. O lado bom disso é que os preços dos hotéis e restaurante despencaram !

De noite, demos apenas uma volta pela rua de pedestres. Conseguimos comprar cerveja pela primeira vez no Egito !!! No Cairo não achamos pra vender em nenhum lugar. Compramos umas long-necks de Heineken num pequeno mercado e fomos caminhando pelas ruas bebendo. Acho que não era crime fazer isso, pois passamos por policiais diversas vezes e não aconteceu nada. Mas não vimos nenhum egípcio bebendo cerveja. Em Dahab só vi dois bares. Os egípcios se reunem nos cafés, onde jogam gamão, fumam nargulê e tomam chá de menta. E nos cafés a presença das mulheres é proibida, por isso só tinha homem !

Voltamos cedo pro hotel, por cansaço e falta de opções noturnas no lugar.

Publicado por alexpt 14:00 Arquivado em Egito Comentários (0)

Dia 11 - Cairo

36 °C

Dormimos por quase 13 horas !!! Levantamos as 10h da manhã.

Tirei estas fotos da janela do quarto:

A Midan(praça) Tahrir e uma estação do metrô:

Europa_2007_331.jpg

Os taxi velhos que circulam pela cidade:

Europa_2007_332.jpg
Europa_2007_333.jpg

Egípcias usando o tradicional véu:

Europa_2007_336.jpg
Europa_2007_337.jpg

Nossa idéia era passar só 2 dias na cidade e depois ir para algum lugar na Península do Sinai, onde fica o Mar Vermelho, região com praias sensacionais e ótimos lugares para mergulhar. Pegamos o metrô para procurar uma agência de turismo. Ao embarcar no vagão, percebemos que só tinha mulher, e todas elas olhavam para a gente querendo rir. Opa, algo errado ! Era o carro das mulheres !!! Será que seríamos presos por isso ? Prisão perpétua ou pena de morte ? Bateu o desespero. Por sorte nenhum guarda percebeu nossa grave infração. Descemos na estação seguinte, e embarcamos no vagão normal (de homens), que estava bem mais cheio, e com um fedor horrível de "cecê". Para piorar, o metrô lá não tem ar condicionado. Devia estar mais de 40 graus dentro do vagão. Descemos na estação e fomos procurar a agência de turismo, mas ao chegar lá, fomos informados que eles não vendiam passagens de ônibus. Entramos em mais duas agências, mas achamos os preços meio caros. Deixamos para ir na rodoviária comprar a passagem à noite, assim poderíamos aproveitar melhor o dia.

Fomos abordados na rua por um egípcio que veio com a pergunta tradicional de abordagem de gringos: "Where are you from ?". Quando falamos que somos brasileiros, surgiu o assunto futebol, e depois ele ficou dando dicas de cidades no Egito que poderíamos conhecer. Achei ele simpático demais pra ser verdade. Estava com maior cara de vendedor. Não deu outra: ele perguntou se a gente não queria uma água ou um chá, pois ele trabalhava na loja ao lado de onde estávamos. "You are my guests, please come in, my friends", disse ele. Furada na certa. Eu fiz que iria embora, mas o Sascha quis ser simpático e aceitou entrar. Quando vi, estávamos sentados numa mesa no segundo andar da loja. O cara começou a querer vender uns frascos de perfume vagabundo pra gente. Perguntou se a gente tinha namorada ou irmã, e por isso poderíamos levar algum presente pra elas. Levantei e fui embora sem falar nada. O Sascha ficou sem graça, agradeceu e foi atrás de mim. A verdade é que o assédio ao turista no Egito é implacável. Todo turista aprende pelo menos uma expressão de sobrevivência em árabe: "La, shokran" (Não, obrigado), pois a todo o momento aparece alguém querendo vender alguma coisa. Ele ainda fez questao de dar o cartão de visitas dele, caso a gente "mudasse de idéia e quisesse comprar uns perfumes com ele depois". Ainda bem que estava em árabe e não dava pra entender nada, só o email !!!

cartao_vendedor_egito.jpg

Pegamos um taxi para conhecer a Citadel, uma pequena "cidade" murada que fica no bairro Islâmico.

No caminho, me chamou a atenção uma van superlotada com gente até pendurada do lado de fora !!!

Europa_2007_343.jpg

Entrada da Citadel:

Europa_2007_348.jpg

Mesquita Mohammed Ali:

Europa_2007_350.jpg
Europa_2007_354.jpg
Europa_2007_356.jpg
Europa_2007_359.jpg
Europa_2007_360.jpg
Europa_2007_362.jpg
Europa_2007_372.jpg

A Mesquita por dentro. Um tapete enorme cobrindo todo o chão, um enorme candelabro, e a ausência total de elementos que estamos acostumados a ver numa igreja cristã, como bancos, confessionarios, santos, anjos, o altar e a cruz.

Europa_2007_363.jpg
Europa_2007_365.jpg

A vista para as Mesquitas de Sultan Hassan e ar-Rifai:

Europa_2007_374.jpg

Video que gravei no momento das orações das Mesquitas de Sultan Hassan e ar-Rifai:

Entrada do Museu Militar Nacional. Repare nas egípcias usando roupas típicas:

Europa_2007_357.jpg

Repare na mulher usando burka preta da cabeça aos pés, no lado esquerdo da foto. Imagina o calor que ela devia estar sentindo usando aquela roupa escura !!!

Europa_2007_379.jpg

Celas do museu:

Europa_2007_376.jpg

Entrada do museu:

Europa_2007_380.jpg

Tanques, caças e mísseis usados na guerra contra Israel:

Europa_2007_381.jpg
Europa_2007_382.jpg

Saimos de lá e pegamos um taxi para ir ao famoso mercado de Khan-al-Khalili. O taxi era um carro muito velho, que já estava rateando. Achei que fosse quebrar a qualquer momento:

Europa_2007_385.jpg

Gravei esse vídeo dentro do taxi. Repare nas barbeiragens, e como todo mundo fica buzinando o tempo todo.

Um dos ônibus urbanos do Cairo, imundo e caindo aos pedaços:

Europa_2007_384.jpg

Entrada do Mercado Khan-al-Khalili:

Europa_2007_389.jpg

O mercado é enorme e só conseguimos conhecer uma pequena parte dele. Fiquei impressionado ao ver vendedores egípcios tentando vender bugigangas falando em alemão para um grupo de turistas alemães. Fomos abordado o tempo todo por vendedores. Compramos alguns souvenirs lá. Os árabes são vendedores e negociadores natos. Nenhuma mercadoria tem o preço estampado na vitrine. Tudo é negociado na hora, e obviamente o primeiro lance que o vendedor dá é sempre 4 ou 5 vezes mais do que o produto realmente vale. O problema é que você sempre sai achando que poderia ter pago mais barato, e com o tempo essa história de ficar negociando preço acaba enchendo o saco. Na Turquia também é a mesma coisa. Outra coisa que é irritante: quando voce compra algo nas lojas e não paga a quantia exata em dinheiro, o vendedor vai encher o seu saco querendo te vender algo a mais para não precisar dar o troco.

Europa_2007_390.jpg
Europa_2007_391.jpg

Já eram 15h, e corremos para conhecer a atração máxima do Egito: AS PIRÂMIDES !!!

Pegamos um taxi e negociamos a corrida em 40 libras egípcias (R$13).

No caminho, passamos por uma via expressa que passa por bairros pobres e favelas. Parecia até a Linha Vermelha:

Europa_2007_396.jpg

Prédios de aspecto degradado no caminho:

Europa_2007_395.jpg

As vans também infernizam o trânsito no Egito, não é só no Brasil...

Europa_2007_404.jpg

As pirâmides aparecem no horizonte, láaaaaaa longe !!!! Emoção única !!!!

Europa_2007_400.jpg

Giza, cidade vizinha a 12km do centro do Cairo onde ficam as pirâmides, é muito pobre, um favelão enorme. Parece o Complexo da Maré. O trânsito estava engarrafado e todo mundo buzinava o tempo todo. Quando estávamos chegando às pirâmides, apareceu um guia-picareta na janela do taxi e queria a todo custo vender um "pacote" composto pelo ingresso nas pirâmides e um passeio de camelo. Lógico que seria furada. Recusamos, mas ele insistia várias vezes. Mandamos o taxista andar com o carro e ele obedeceu. Poucos metros depois, apareceu outro. Só que esse foi mais ousado: entrou no taxi e sentou no banco do carona !!! Começou com o tradicional "Where do you come from ?", e depois encheu o nosso saco, insistia em dizer que era mais barato comprar a entrada com ele, fazer o passeio tendo ele como guia, etc etc etc. Nós nos limitávamos a dizer "No, thanks", "La shokran", "We really don't want"... Até o taxista já estava se irritando com o mala. Gritou qualquer coisa em árabe, que devia ser "Cai fora daqui !" e ele saiu.

Gravei um video dentro do taxi neste momento:

Descemos do taxi e mal podíamos acreditar que estávamos diante das famosas PIRAMIDES DO EGITO !!!! Difícil acreditar que elas estão ali há 4500 ANOS !!!!! Uma viagem ao Egito definitivamente nos faz mudar o conceito de tempo.

Giza tornou-se em 2.500 AC a necropolis (mausoléu dos faraós) de Memphis, como se chamava o Cairo naquela época. Cada pirâmide era a tumba de um faraó. A família real era enterrada em pirâmides satélites menores, e tumbas de pedra.

São 3 as pirâmides de Giza: Quéops, Quéfren e Miquerinos, nomes dos faraós que foram enterrados nelas. Estas não são as únicas pirâmides do Egito, como muitos pensam. Já foram descobertas 118 pirâmides, todas localizadas na margem esquerda do Rio Nilo. Muitas destas pirâmides foram parcialmente ou totalmente soterradas pelas areias do deserto do Sahara.

Para entrar no local onde ficam as pirâmides, é necessário pagar um ingresso.

Video que gravei logo ao chegar, com uma multidão de guias, camelos e charretes em frente às pirâmides:

Esta é a pirâmide de Quéops, a maior das 3 pirâmides de Giza, com 137 metros e 2,6 milhões de blocos de pedra que pesam até 15 toneladas cada um. É algo tão impressionante, que não dá para descrever apenas com palavras. Vê-la com os próprios olhos causa uma sensação incrível de admiração. Até hoje permanece um mistério o método utilizado para construí-la. Estima-se que foram necessários 20 anos e cerca de 100 mil homens para construir esta pirâmide. É incrível como há 4500 anos os egípcios conheciam técnicas de construção tão avançadas. A diferença de tamanho entre os lados desta pirâmide é de apenas 4 centimetros, evidenciando uma precisão na construção impressionante. Esta pirâmide foi durante milênios a construção mais alta realizada pelo homem. Só foi superada no Século 19 pela Torre Eiffel. Nenhuma outra civilização posterior à dos faraós (Fenícios, Cartaginenses, Etruscos, Romanos, Gregos, Turcos, Bizantinos, Macedônios, etc) foi capaz de construir algo tão grandioso.

Europa_2007_410.jpg
Europa_2007_412.jpg
Europa_2007_430.jpg

Entrada da pirâmide:

Europa_2007_417.jpg

Os blocos de pedra são enormes e pesam cerca de 15 toneladas cada um !!!

Europa_2007_425.jpg
Europa_2007_419.jpg
Europa_2007_434.jpg

Muitos camelos !

Europa_2007_421.jpg

Pirâmide de Quéfren, apenas 15 metros mais baixa que a de Quéops:

Europa_2007_416.jpg

Uma das pequenas pirâmides periféricas de Quéops, onde foram enterrados os parentes próximos do faraó:

Europa_2007_426.jpg

Algo interessante é que as pirâmides ficam exatamente onde termina a cidade-favela de Giza e começa o deserto do Sahara. Eu imaginava que as pirâmides ficassem no meio do deserto e que não fosse possível ver a cidade, mas elas estão lado a lado. A poucos passos das pirâmides há um McDonald's !!! Repare nesta foto, tirada ao lado das pirâmides, como está próxima a cidade (ao fundo):

Europa_2007_432.jpg
Europa_2007_450.jpg

Video que gravei fazendo um 360 graus para mostrar as 3 pirâmides de um lado, e do outro a imensidão do Deserto do Sahara:

O Sahara infinito !!!

Europa_2007_442.jpg

Pirâmide de Miquerinos:

Europa_2007_438.jpg

As pirâmides de Quéops (ao fundo) e Quéfren:

9Europa_2007_447.jpg

A Esfinge (bem menor do que eu imaginava !)

Europa_2007_452.jpg

O Sascha sendo abordado por vendedores-mirins. Eles não desistiam enquanto não conseguiam vender uns cartões-postais. Encheram tanto o saco dele, que ele acabou comprando. Os egípcios desde cedo aprendem a arte da negociação !!!

Europa_2007_457.jpg

Uma decepção da viagem foi que não conseguimos entrar nas pirâmides, pois já era 17h, e elas já haviam sido fechadas para visitação ! Mas dizem que a primeira coisa que você pensa ao entrar nelas, é em sair o mais rápido possível, devido ao calor !!! Mesmo assim valeu muito a pena vê-las por fora, e admirar este Patrimônio da Humanidade que há tanto tempo eu sonhava em conhecer.

Comemos no McDonald's em frente às pirâmides, pegamos um taxi de volta para o centro do Cairo, e fomos para o hotel tomar um banho. Eu realmente estava precisando de um banho bem gelado. Estava completamente ensopado de suor e sujo de poeira do deserto.

De noite saímos para comer um sanduíche de kafta numa lanchonete em frente ao hotel. Saímos de bermuda, camiseta regata e chinelo. As pessoas nas ruas nos olhavam como se fossemos ETs ! Mesmo com um calor intenso, todos os homens egípcios usam calças jeans e camisas com manga. As mulheres jamais mostram as pernas, ombros e barriga. A maioria usa véu cobrindo a cabeça e saias de "crente" até a canela. Algumas são mais "moderninhas": abandonaram o véu e usam calça jeans à maneira ocidental, mas as roupas nunca são decotadas. Não é aconselhável que homens ocidentais puxem conversa com as egípcias, pois podem ser repreendidos pelos homens locais. Na lanchonete, pedimos um combo de saduíche de kafta com fritas e refrigerante, que custou apenas o equivalente a R$5 !

Uma coisa que me chamou a atenção no Cairo foi a sensação de segurança. Apesar de ser um país bem mais pobre que o Brasil, o Egito é muito mais seguro. Roubos a turistas são muito raros. O policiamento é ostensivo (vimos policiais por todos os lugares onde andamos), leis duras (inclusive com pena de morte), e a extrema religiosidade dos árabes islâmicos acabam contribuindo fortemente para o baixo índice de crimes. O único problema são os atentados praticados por terroristas de grupos fundamentalistas islâmicos, como o Al Qaeda de Bin Laden. De 2004 a 2009 foram praticados 5 atentados no país (2 no Cairo, 1 em Taba, 1 em Dahab e 1 em Sharm-el-Sheik), todos matando e ferindo dezenas de turistas estrangeiros.

Outra coisa esquisita, pelo menos para os olhos de um brasileiro, é a total ausência de bares na cidade, por um motivo muito simples: os islâmicos não consomem álcool ! Por isso, no lugar de bares, vimos muitos cafés, que eram uma espécie de "Clube do Bolinha", pois a presença de mulheres não é permitida. Nestes cafés, os egípcios se reunem para jogar gamão, fumar narguilê e tomar chá.

Cairo é uma das metrópoles mais secas do mundo. Só chove em média duas vezes por ano na cidade. Não existem bueiros na cidade, algo absolutamente desnecessário lá. O resultado disso é que as ruas, carros e prédios tem um aspecto empoeirado, e as árvores são escassas.

Também estranhei a falta de lixeiras nas ruas. As pessoas simplesmente jogam os papéis na rua. Comprei um pacote de biscoito e tive que carregar o lixo na mochila porque não encontrei nenhuma lixeira no caminho de volta para o albergue.

Pegamos um taxi para a rodoviária, que ficava ao lado de um favelão terrível. Compramos nossas passagens para Dahab, na Península do Sinai, para o dia seguinte às 7h da manhã.

Esta era a minha passagem. Não dava pra entender absolutamente nada !!! Nem mesmo o horário de partida !!!

passagem_onibus_egito.jpg

Voltamos pro hotel e fomos dormir cedo.

Publicado por alexpt 14:00 Arquivado em Egito Comentários (0)

(Textos 1 - 5 de 6) Página [1] 2 » Próximo