Um blog do Travellerspoint

Maio 2011

Dia 12 - Berlim

overcast 23 °C

Último dia na Alemanha !!!

O almoço foi um kebab, pra variar !

Pegamos o S-Bahn (metrô de superfície) para ir a Potsdam, cidade vizinha.

DSC05307.jpg
DSC05308.jpg
DSC05309.jpg

Lá a bicicleta também é amplamente utilizada como meio de transporte, A cidade é toda cortada por ciclovias.

DSC05310.jpg

Potsdam foi completamente destruída na 2a Guerra. Tudo o que sê vê hoje foi construído após 1945.

Uma rua de pedestres com muitos bares, restaurantes e lojas de souvenirs:

DSC05316.jpg

A principal atração de Potsdam é o Park Sanssouci, onde fica o Schloss (Palácio) Sanssouci, antiga residência de verão do rei Frederico, da Prússia, construído no século 18.

DSC05320.jpg
DSC05321.jpg
DSC05322.jpg

O tempo virou, começou a chover e esfriar. Voltamos para Berlim, e fomos comprar uns souvenirs na Alexanderplatz.

Aqui na Alemanha não vimos muita mulher bonita. Tem algumas sim, mas na média, as russas ganham de goleada !!! Não tem nem comparação !!!

A grande vantagem daqui em relação a Rússia é que todo mundo fala inglês. TODO MUNDO ! Não encontrei nenhuma pessoa sequer que não falasse. Então só fala alemão quem quiser.

A noite procuramos algum restaurante aberto para comer, mas como já era quase meia-noite, já estava tudo fechado. Só achamos um kebeb aberto (de novo !!!).

Tomamos umas cervejas pra não passar em branco a noite !

DSC05323.jpg

Publicado por alexpt 15:00 Arquivado em Alemanha Comentários (2)

Dia 11 - Berlim

sunny 25 °C

Mais um dia de sol e calor na Alemanha ! 25 graus !!! Tô achando ótimo poder sair de bermuda e camiseta, sem precisar levar casaco !

O quarto do albergue:

DSC05253.jpg

Vista da janela:

DSC05254.jpg

Corredor:

DSC05255.jpg

Recepção:

DSC05256.jpg

Frente do prédio:

DSC05258.jpg

Estação de metrô bem do lado:

DSC05259.jpg

Esse albergue (Meininger Prenzlauer Berg) é show de bola ! Meininger é uma rede de albergues com filiais em várias cidades da Europa, e todos eles são ótimos ! Já fiquei nas filiais de Viena e Munique.

Berlim é uma cidade com muitas ciclovias e muita gente usa bicicleta como meio de transporte, não apenas como lazer. Chama a atenção que todos os ciclistas respeitam as leis de trânsito e param nos semáforos como fazem os carros, para os pedestres poderem atravessar. É engraçado que, se o semáforo estiver vermelho para os pedestres, mesmo quando não está passando nenhum carro ou bicicleta, os pedestres aqui não atravessam a rua ! Esperam ficar verde para atravessar.

DSC05260.jpg
DSC05261.jpg

Propaganda da Berliner Pilsen, cerveja feita aqui em Berlim:

DSC05262.jpg

Alexanderplatz:

DSC05263.jpg

Um ônibus de dois andares:

DSC05264.jpg

Mais kebab de almoço, dessa vez no pão árabe (dürüm kebab). Muito bom !

DSC05265.jpg

Um refrigerante alemão (Mezzo Mix) com sabor de laranja:

DSC05266.jpg

Prédio na Alexanderplatz. No 12 andar dele fica a Weekend, a mega boate pra onde fomos no sábado:

DSC05267.jpg

Muitos bares de Berlim colocam mesas na calçada para os clientes aproveitarem os dias de sol e calor. Este aqui, por exemplo, colocou até cadeiras de praia !

DSC05268.jpg

Estacionamento de bicicletas:

DSC05269.jpg

Fomos visitar o Estádio Olímpico dos Jogos de 1936, do outro lado da cidade. Hitler esperava provar a suposta superioridade ariana, mas teve que assistir um grupo de atletas negros norte-americanos faturar grande parte das medalhas do atletismo.

DSC05270.jpg
DSC05275.jpg
DSC05276.jpg
DSC05277.jpg

Currywurst, a linguiça típica de Berlim, com molho de curry:

DSC05282.jpg

Não podia faltar uma cerveja Berliner Kindl !

DSC05283.jpg

Esses quiosques são muito comuns pela cidade, vendendo currywurst e outros tipos de linguiça.

DSC05284.jpg

A Kaiser-Wilhelm-Getächniskirche é uma igreja que foi completamente destruída pelos bombardeios da 2a Guerra. Ela foi mantida parcialmente destruída para servir como um monumento.

A igreja em 1933, antes de ser destruída, e depois, em 1945:

DSC05287.jpg
DSC05288.jpg

No interior da igreja, hoje um museu:

DSC05289.jpg

O Checkpoint Charlie era um dos vários portões de passagem de veículos e pedestres entre Berlim Oriental e Ocidental. Neste checkpoint foram mantidas a guarita e a placa, que viraram atração turística:

DSC05294.jpg
DSC05295.jpg

No local hoje há um interessante museu sobre o Muro de Berlim (Mauer Museum), mostrando as diversas técnicas que os habitantes de Berlim Oriental desenvolveram para tentar escapara para Berlim Ocidental. Muitos passavam em fundos falsos de porta-malas de carros, dentro de malas, ultra-leves e de balão.

Foto do Checkpoint Charlie em 1962, num momento crítico da Guerra Fria, com tanques americanos e soviéticos frente a frente:

DSC05292.jpg

De noite fomos no Mommsem-Eck Haus der 100 Biere, um bar famoso na cidade por servir cervejas do mundo inteiro (100 marcas diferentes !!).

DSC05305.jpg

No cardápio, cervejas de diversas regiões da Alemanha, e países tão diferentes como China, Tailândia, Finlândia e Cuba. Fica até dificil de escolher !

DSC05298.jpg

Comecei com uma Fleinsburger (alemã), depois uma Budweiser Budvar (tcheca) e terminei com uma Satan Red (belga).

DSC05301.jpg
DSC05303.jpg
DSC05304.jpg

Comi um "combinado alemão" com tudo de mais típico que havia: chucrute, salada de batata e diversos tipos de linguiça.

DSC05302.jpg

Publicado por alexpt 15:00 Arquivado em Alemanha Comentários (1)

Dia 10 - Berlim

sunny 24 °C

Acordamos estragados, cheios de ressaca, às 15h !! Comemos um kebab show de bola na Alexanderplatz por 3 euros.

DSC05190.jpg
DSC05189.jpg
DSC05192.jpg

A Alemanha tem muitos imigrantes turcos, e por isso, é muito comum encontrar lugares que vendem comida turca, como os kebabs.

A Alexanderplatz (minha praça !!)

DSC05194.jpg

Vendedores de pão com linguiça. Nada mais alemão que isso !

DSC05195.jpg

Durante os meses de calor (ou menos frio), os alemães adoram comer e beber ao ar livre. Muito comum ver bares e restaurantes com mesas na calçada. Comum também são os biergartens, que são, ao pé da letra, "jardins de cerveja", isto é, bares com essas mesas de madeira compridas, bem no estilo alemão.

DSC05205.jpg
DSC05196.jpg

A Alemanha é a terra da cerveja e da linguiça (wurst). Os cardapios sempre tem diversos tipos de cervejas e linguiças com nomes enormes, quase impronunciáveis.

DSC05197.jpg

O transporte em Berlim é fantastico. São diversas linhas de metrô (U-Bahn), trem de superfície (S-Bahn) e de bonde. Os vagões estão sempre vazios, ou parcialmente ocupados, mesmo na hora do rush. Nunca ficam lotados como no Brasil ou na Rússia. Outra particularidade do metrô de Berlim é que os passageiros não passam por nenhuma roleta para entrar na estação e embarcar. As estações tem máquinas de venda de passagem (não tem caixas), e os passageiros validam a passagem numa outra máquina. Funciona na base da honestidade. As vezes, bem esporádicamente, aparece algum fiscal a paisana no metrô pedindo para ver a passagem. Caso o passageiro não tenha comprado passagem, ou esta esteja com a validade vencida, terá que pagar uma multa, sem falar no constrangimento de ser chamado a atenção na frente dos outros passageiros.

Um bonde:

DSC05198.jpg

A Fernsehturm, torre com vista panorâmica para a cidade toda.

DSC05199.jpg
DSC05207.jpg
DSC05208.jpg
DSC05206.jpg
DSC05209.jpg
DSC05210.jpg

Nikolaiviertel, região de Berlim com construções restauradas do século 19. A cidade foi completamente arrasada na 2a guerra, e praticamente não se vê construções antigas pela cidade. O Nikolaiviertel é a única que foi preservada.

DSC05213.jpg
DSC05201.jpg
DSC05203.jpg
DSC05204.jpg

Berliner Dom (Catedral):

DSC05214.jpg

A principal avenida da cidade (Unter den Linden):

DSC05216.jpg

Portão de Brandemburgo, o simbolo de Berlim. Estava tendo um protesto do Greenpeace contra o uso da energia nuclear.

DSC05236.jpg

O Portão de Branderburgo antigamente, com o Muro passando em frente a ele:

DSC05242.jpg

Berlim fica na região pertencente a antiga Alemanha Oriental, que era controlada pelos soviéticos. A parte leste da cidade era controlada pelos americanos, franceses e ingleses. Esta parte, portanto, era uma ilha capitalista bem no meio da Alemanha Oriental comunista. O Muro de Berlim foi construído pelos soviéticos para tentar freiar a debandada dos alemães rumo a Alemanha Ocidental. O mapa abaixo mostra Berlim Ocidental cercada pelo muro.

DSC05244.jpg

O Tiergarten, o maior parque da cidade.

DSC05222.jpg

Varias partes da cidade são cortadas por caminhos demarcados por parelelepipedos, que servem para mostrar por onde o Muro de Berlim passava antigamente.

DSC05224.jpg
DSC05237.jpg

O Congresso Alemão (Reichstag). Não conseguimos entrar, porque era necessário fazer reserva antecipada.

DSC05227.jpg

Um edifício do governo alemão ao lado do Reichstag, às margens do rio Spree.

DSC05231.jpg

Monumento em homenagem aos judeus mortos na 2a guerra.

DSC05238.jpg

Trecho preservado do Muro de Berlim na Potsdamer Platz.

DSC05245.jpg

Restaurante com mesas na calçada:

DSC05241.jpg

Fomos comer algo no Sony Center, um moderno shopping center com bares e restaurantes, na Potsdamer Platz.

DSC05247.jpg

Escolhemos o Höfbräuhaus, restaurante temático da cerveja alemã Höfbräu. Comi linguiça com chucrute (mais alemão, impossível !) com uma sopa de batata de entrada, e tomei uma Hofbrau de trigo (weiss).

DSC05249.jpg
DSC05250.jpg
DSC05252.jpg

Isso é cerveja, acredite !! Chama-se Berliner Weisse, e é tipica de Berlim. É cerveja com sabor de hortela e framboesa, respectivamente.

DSC05248.jpg

Publicado por alexpt 15:00 Arquivado em Alemanha Comentários (1)

Dia 9 - São Petersburgo - Berlim

sunny 16 °C

Acordamos meio-dia. Muita chuva e frio.

Muitos russos no albergue, inclusive familias com idosos e crianças, o que é pouco comum de ver nos albergues da europa ocidental. São Petersburgo parece ser um destino turistico popular dentro da Rússia.

No nosso quarto chegou um russo do Cáucaso bem gente boa, que falava inglês. O holandês e o outro russo foram embora, e o outro, que não falava com ninguém, continuava sem pronunciar nenhuma palavra. Cara estranho demais.

Resolvemos pedir um taxi pro aeroporto. O taxista era muito gente boa, falava inglês, e ficou amarradão quando falamos que éramos do Brasil. Ele contou que no inverno passado chegou a fazer -40 graus aqui !!! Não consigo imaginar qual seria a sensação de andar na rua com essa temperatura. Provavelmente o vento faz a sensação térmica baixar ainda mais, e as partes expostas do corpo congelariam em questão de minutos. O maior frio que já peguei foi -5 graus no Chile, e quase virei picolé !!

Almoçamos no aeroporto mesmo. Comi massa e de sobremesa um blini (crepe) de chocolate com avelã.

Achei o aeroporto de São Petersburgo ruim. Pequeno, e sem estrutura. Nesse ponto a Rússia se parece com o Brasil. A diferença é que preocupação com segurança na Rússia é muito maior que no Brasil. Os passageiros passam por um detector de metais e raio-x de bagagem logo na entrada do saguão de embarque. Pra entrar na sala de embarque, mais um raio-x e mais um detector de metais, mas com uma revista bem mais rigorosa. Tem que tirar sapato, cinto, e ainda tem um policial que faz uma revista manual pelo corpo todo.

Nos despedimos da Rússia com um gostinho de "quero mais". Ficou na memória a lembrança de um típico país do Leste Europeu: bonito, pobreza pequena para nossos padrões, seguro, cheio de atrações, com boa comida, belas habitantes, vida noturna animada, mas um país que não foi totalmente descoberto pelos turistas. Foi como visitar a República Tcheca ou a Hungria há 10 ou 20 anos, antes da invasão em massa dos turistas.

Nosso voo pra Berlim saiu às 17h, durou 2h, e chegamos no mesmo horário ! É o fuso de menos duas horas que produz milagres como esse, um dia de 26 horas !!!

O trajeto da viagem mostrado no avião:

DSC05130.jpg

Aterrisando em Berlim:

DSC05134.jpg

Chegamos no aeroporto de Berlin-Tegel, que não tem ligação ferroviária com a cidade. Pegamos um ônibus que nos deixou na Alexanderplatz, uma praça famosa na cidade, onde fica a Fernsehturm, uma torre com um mirante com vista pra toda a cidade. Toda esta região pertencia antigamente a parte oriental (soviética) de Berlim, antes da queda do muro em 1989. O albergue (Meininger Prenzlauer Berg) fica a poucas quadras da Alexanderplatz.

No nosso quarto conhecemos o Chris (França) e a Fatima (Turquia). Fomos com eles na Alexanderplatz jantar e tomar umas cervejas. Comi um spegel (aspargos) com schnitzel (empanado de carne) e tomei uma Paulaner Weiss:

DSC05137.jpg
DSC05136.jpg

A Fatima conseguia reconhecer todos os turcos misturados entre os alemães, inclusive o garçom que atendeu a gente. Pra mim era tudo alemão, impossível diferenciar !!

O Chris prefiriu voltar pro albergue e dormir, mas a Fatima foi pra night com a gente. Procuramos uns bares na região de Neuköll. No caminho tiramos umas fotos em trechos preservados do Muro de Berlim, na região conhecia como East Side Gallery:

DSC05139.jpg
DSC05141.jpg

Caminhando pela região de NeuKöll conhecemos 3 brasileiros que também estavam perdidos procurando algum lugar legal pra sair. Rodamos por vários quarteirões tentando achar algo, perguntamos para locais, mas não encontramos nada. Pegamos um taxi e fomos parar de volta na Alexanderplatz, onde entramos na Weekend, uma mega boate que fica no 12o andar de um prédio comercial:

DSC05148.jpg

A entrada custou 12 euros, e a bebida era cara (7 euros a cerveja e 8,50 euros a vodka com redbull).

DSC05149.jpg
DSC05153.jpg

Rafael, eu e Fatima:

DSC05154.jpg

Eu, Fatima, e os 3 brasileiros que conhecemos na rua:

DSC05158.jpg

Ficamos por lá até 5 da manhã.

DSC05167.jpg
DSC05187.jpg

Pegando metrô de volta pro albergue !!!

DSC05188.jpg

Publicado por alexpt 15:00 Arquivado em Alemanha Comentários (1)

Dia 8 - São Petersburgo

overcast 16 °C

Acordamos tarde pra caramba, às 14h !!! Dormir em rublos não rola, né ? Melhor deixar pra dormir no Rio, em reais ! :)

O frio deu uma trégua hoje e até que estava "calor": 16 graus !

Fomos comer um sanduba no Subway. Tomei um refrigerante russo chamado Russky Dar. O gosto era horrível ! Não consegui tomar mais que um gole...

DSC05093.jpg

Estou achando os preços na Russia mais ou menos iguais aos do Brasil. Ou seja, caros ! Um sanduíche pequeno no Subway sai aqui pelo equivalente a R$9. Tem algumas coisas mais baratas, como a gasolina e o transporte. O metrô custa apenas 25 rublos (R$1,40), menos que a metade que o metrô do Rio ! Aqui tem 5 linhas e os trens passam com intervalos de menos de 1 minuto !!!

Fomos na ilha de Petrovgradsky onde entramos no Museu de História Política da Rússia. Achei interessante ver as propagandas soviéticas:

DSC05100.jpg
DSC05101.jpg
DSC05102.jpg
DSC05103.jpg
DSC05104.jpg
DSC05106.jpg
DSC05107.jpg

Os heróis soviéticos da época da Corrida Espacial. Homenagem especial ao Yuri Gagarin:

DSC05094.jpg
DSC05095.jpg
DSC05096.jpg
DSC05097.jpg
DSC05098.jpg

Máscara contra a radiação usada no desastre nuclear de Chernobyl, em 1986:

DSC05099.jpg

Saindo de lá, fomos para Ploshchad Lenina (Praça Lenin), em frente a Estação de trens Finlandsky. A atração de lá é a estátua de Lenin, uma das poucas que sobraram da época do comunismo. Uma relíquia !

DSC05112.jpg

A Ploshchad Lenina, com as bandeiras da Rússia:

DSC05114.jpg

Barco de passeio num dos canais da cidade:

DSC05116.jpg

Comi no Teremok (rede de fast-food de comida russa) um blini (crepe) e pelmeni (ravioli ao estilo russo). O pelmeni tinha recheio de batata e carne. O engraçado é que não é servido nenhum molho por cima. Vem só com o recheio e pronto, é comido assim mesmo, mas é bem gostoso.

DSC05117.jpg

Passamos num supermercado e compramos umas vodkas muito maneiras pra levar pra casa !!!

DSC05119.jpg

Marcamos um tempo no albergue, banho e depois partiu pra night !!! Antes, mais um sanduba na Subway (pra variar, ehhehe)

As ruas da cidade, por volta da meia-noite, estavam tomadas de gente !! Uma festa ! Parecia até hora do rush ! O transito estava todo parado. Enfim...uma típica sexta-feira russa, bombando muito ! A quantidade de mulher bonita desfilando pelas ruas é de enlouquecer !!!

DSC05121.jpg
DSC05122.jpg
DSC05123.jpg

A primeira parada foi na Purga, uma boate muito louca que ficava tocando dance music russo ! Dá pra imaginar ?? Muito divertido !! Todo mundo usava umas orelhas de coelho (igual aquela que distribuem em festa de casamento) e rolou ate trenzinho na pista de dança. Só achei meio caro o lugar: entrada por 400 rublos (R$22,50) e cerveja Erdinger por 300 rublos (R$17). Depois procuramos outro lugar pra ir, e acabamos entrando de novo na Marstall, onde havíamos indo ontem. Ficamos até as 4 da manhã por lá. A noite na Russia, pelo menos nos lugares onde fomos, tem unas coisas diferentes. A faixa etária não segue uma tendência. Pelo menos nos lugares onde fomos, tinha gente bem nova e também bem mais velha (acima de 50 anos), tanto homens quanto mulheres. Mas não rolava preconceito de nenhuma das partes. Todo mundo se misturava e se divertia como se fosse da mesma idade.

Publicado por alexpt 5:00 Arquivado em Rússia Comentários (4)

(Textos 1 - 5 de 8) Página [1] 2 » Próximo