Um blog do Travellerspoint

Dia 31 - Paris - Versailles

sunny 24 °C

Acordei às 9h, tomei café no albergue e peguei o trem para Versailles, cidade vizinha a Paris.

Ao chegar em Versailles, o mico do dia: para sair da estação de trem, era necessário passar por uma roleta, que só liberava a passagem se o bilhete comprado em Paris fosse inserido nela. Mas quem disse que eu guardei o bilhete ? Eu achava que tinha colocado em algum bolso, mas não conseguia encontrá-lo. O pior é que os passageiros todos desembarcaram, e eu fiquei lá sozinho, com cara de pastel, querendo sair e não podia. De repente apareceram duas turistas japonesas com cara de desorientadas querendo sair também. O segurança da estação, então, liberou a roleta pra gente passar.

A principal atração da cidade é o Château de Versailles, o grandioso palácio do rei Luis XIV, o "Rei Sol". Foi construído no século XVII e é um dos maiores do mundo, com 700 quartos e um belo jardim de 700 hectares.

Entrada do Palácio:

DSC02055.jpg

A bela fachada:

DSC02058.jpg

O impressionante interior:

DSC02059.jpg
DSC02065.jpg
DSC02071.jpg

O jardim do palácio, que parece não ter fim:

DSC02075.jpg
DSC02094.jpg

Voltei para Paris, e fui dar uma volta pelo Rive Gauche, a parte da cidade localizada à esquerda do Rio Sena. Nesta área fica o Quartier Latin, Montparnasse, o Jardin du Luxembourg, a Esplanade des Invalides, o Champ de Mars e a Torre Eiffel.

O Rive Droite é a área à direita do Sena, onde fica o Marais, a Champs-Elyssés, o Arco do Triunfo, o Louvre, o Jardin de Tulleries, a Bastilha e Montmatre.

Comecei pelo Quartier Latin, região animada em torno da Universidade de Sorbonne, famosa pela boemia, com muitos cafés, bares e bistrôs. Esta região tem este nome pois a língua latina era amplamente falada pelos universitários que circulavam por lá desde a Idade Média.

A principal avenida do Quartier Latin é a Boulevard Saint-Germain:

DSC02097.jpg

Fiz uma parada para comer um "crêpe jambon fromage", comprado numa carrocinha na esquina:

DSC02098.jpg

A entrada da famosa Universidade de Sorbonne. Ao me aproximar da porta, o segurança já se antecipou dizendo de forma lacônica: "PAS DE VISITES". Como ele sabia que eu era turista, e não um estudante da Sorbonne ? Só porque eu estava de bermuda e camisa do Flamengo ??? (hehehe). Ele deve repetir "PAS DE VISITES" umas 200 vezes por dia, tamanha a quantidade de turistas que tentam entrar. Deixei pra lá, também não queria...

DSC02099.jpg

A igreja de Saint-Germain-des-Prés:

DSC02101.jpg
DSC02102.jpg

Ao lado da igreja, o famoso Café Les Deux Margots.

DSC02103.jpg

Ruinas da arena de Lutèce, construída pelos romanos no século I:

DSC02096.jpg

Mais Brasil em Paris: Samba nos jardins do Senado. "Venha dançar, aprender o samba, a percussão..."

DSC02104.jpg

O Senado Federal Francês, no Jardin du Luxembourg:

DSC02105.jpg

Jardin du Luxembourg:

DSC02106.jpg

Peguei o metrô de novo para ir até La Défense, no subúrbio de Paris.

La Défense é uma Paris diferente, moderna, com arranha-céus. É o centro financeiro da cidade, onde ficam as sedes das grandes empresas francesas.

DSC02115.jpg
DSC02116.jpg

O Arco de La Défense, que pode ser visto de cima do Arco do Triunfo e da Torre Eiffel:

DSC02117.jpg

Voltei até o Trocadéro para tirar mais uma foto com o cartão-postal máximo da França:

DSC02119.jpg

Esplanade des Invalides. Ao fundo, o belo Hôtel des Invalides (Palácio dos Inválidos), que servia de abrigo para os inválidos do exército. Foi construído pelo rei Luís XIV. Ali está enterrado Napoleão Bonaparte.

DSC02123.jpg

A bela Torre Eiffel iluminada à noite:

DSC02132.jpg

Já passava de meia-noite. Voltei caminhando pro albergue e fui dormir cedo. Como ainda não tinha subido na Torre Eiffel, decidi fazer isso de manhã cedo no dia seguinte, pois seria meu último dia na cidade.

Publicado por alexpt 15:00 Arquivado em França

Envie por email este textoFacebookStumbleUpon

Índice

Comentários

Administrativamente, La Défense não fica em Paris, pois está além do Boulevard Peripherique. La Défense fica em Puteaux e andando a pé você chega em Nanterre, onde FHC e outros brasileiros foram professores.

Novamente, eu penso que você é muito talentoso, vai direto onde interessa, eu estive no Quartier Latin e deixei passar tanto a Saint Germain des Près como o Deux Magots (bom, mas eu não iria mesmo dar 50 euros de consumação lá)

por Enaldops

Comments on this blog entry are now closed to non-Travellerspoint members. You can still leave a comment if you are a member of Travellerspoint.

Informe abaixo os detalhes da sua conta no Travellerspoint

( O que é isso? )

Se você não é ainda um membro do Travellerspoint, inscreva-se grátis.

Inscreva-se no Travellerspoint