Um blog do Travellerspoint

Dia 16 - Roma

sunny 33 °C

Dia de conhecer todas as grandes ruínas do Império Romano: Palatino, Coliseu e Forum Romano. Roma é assim: um grande museu ao ar livre.

Comecei o passeio pelo Forum Romano, que era o centro econômico, comercial e religioso dos romanos. Ali haviam lojas, praças, templos, monumentos, tribunais e edifícios públicos, ocupando uma imensa área próxima ao Coliseu com ruínas a perder de vista.

DSC01440.jpg
DSC01446.jpg
DSC01447.jpg

Percorrendo estas áreas, é comum encontrar arqueólogos trabalhando. Até hoje são entrados objetos e ruínas de construções da época do Império Romano.

DSC01449.jpg

A construção do Metrô de Roma foi complicadíssima, pois o tempo todo o trabalho era paralisado ao ser encontrado alguma relíquia arqueológica. O Metrô, aliás, é uma atração à parte. A imensa maioria dos passageiros são turistas. Eu nunca tinha visto um metrô tão cheio. Eu só consegui embarcar depois de 3 tentativas frustradas. Eu mal conseguia me aproximar do vagão, tamanha a quantidade de pessoas que queriam embarcar. O melhor mesmo é fazer tudo caminhando. As atrações não chegam a ser muito distantes umas das outras. Quando estava tentando entrar no vagão, uma velhinha italiana trás de mim ficava empurrando todo mundo, e não parava de falar "porca miséria !" Parecia impaciente com a quantidade absurda de turistas atrapalhando a vida dela.

O Palatino é uma colina ao lado do Forum Romano, onde estão as ruínas dos palácios imperiais. Também estão ali as ruínas do Templo de Apolo (Deus da Luz).

DSC01480.jpg
DSC01455.jpg
DSC01459.jpg

Um estádio usado pelos imperadores:

DSC01463.jpg

Depois de percorrer várias ruínas no Palatino, chegou a hora de conhecer o Coliseu por dentro. O símbolo máximo do Império Romano foi inaugurado no ano 96 D.C., e foi utilizado durante 500 anos, até depois da queda do Império Romano. Originalmente era capaz de abrigar 50 mil pessoas, e era usado para grandes espetáculos, como batalhas de gladiatores e animais selvagens (leões, panteras, leopardos etc).

Hoje está em ruinas, devido a terremotos e invasões. Da arquibancada não sobrou nada, apenas ruínas:

DSC01468.jpg
DSC01474.jpg
DSC01478.jpg

As Termas di Caracalla foram construídas no séc. I a mando do imperador Caracalla, e foram uma espécie de spa público com capacidade para 1600 pessoas. Havia uma grande sala com piscina de água fria, uma de água morna e outra de água quente. O que impressiona é o bom estado de conservação das ruínas. Ainda restam alguns mosaicos no piso, e é possível identificar onde ficavam as piscinas:

DSC01482.jpg
DSC01483.jpg
DSC01484.jpg
DSC01486.jpg

A Isola Tiberina é uma pequena ilha no rio Tevere:

DSC01489.jpg

O Trastevere é um simpático bairro que fica do outro lado do rio, com muitos pequenos restaurantes. Sentei pra almoçar num deles ali, e pedi uma lasanha maravilhosa. Os italianos compartilham com os franceses o hábito do "slow food", ou seja, comer sem pressa, transformando a refeição num lento e prazeiroso ritual. Antipasto, Primo piatto, secondo piatto, dessert. Quis apenas o secondo piatto, uma lasanha. Ao pedir a conta, a garçonete achou estranho eu querer comer só aquilo, e trouxe uma sobremesa de brinde, um delicioso tiramisù. Deve ter ficado com pena de mim, pobre turista mochileiro, ehhe.

DSC01490.jpg

Caminhando pelo Lungotevere (a avenida que margeia o rio Tevere), me deparei com uma cena inusitada. Havia uma cigana com uma criança na mão e um pedaço de papelão cobrindo metade do corpo dela, até o chão. Ao passar próximo, ela veio em minha direção olhando fundo nos olhos e falando algo na língua estranha dela. Numa fração de segundo, senti uma mão pequena entrando no bolso da minha calça. Não estava acreditando naquilo. Que amadora...ahaha. Segurei a mão invasora, e vi que era de uma criança que estava escondida atrás do papelão. Mandei a cigana roubar na casa do *&$&@* , em português mesmo, ela se assustou e saiu rapidamente dali. Eu fiquei rindo sozinho, sem acreditar na ingenuidade da aspirante a batedora de carteira. E que azar ela teve, tanto gringo dando sopa, e foi tentar roubar logo um carioca. Como diz o Ancelmo Góes, deve ser terrível morar num lugar assim, onde as pessoas não tem segurança.

A Fontana dei Quatri Fiumi, na Piazza Navona:

DSC01493.jpg

O interior do Pantheon, a única construção da época do Império Romano que encontra-se em perfeito estado de conservaçao. É um templo dedicado aos deuses romanos. No seu interior há uma cúpula:

DSC01500.jpg
DSC01498.jpg
DSC01499.jpg

Piazza del Popolo:

DSC01505.jpg

Campi dei Fiori, uma praça com muitos bares e restaurantes, com mesas ao ar livre:

DSC01509.jpg

O Castel de Sant'Angelo, às margens do Rio Tevere.

DSC01510.jpg

A entrada do Vaticano. Via della Conciliazione, com a Basília de São Pedro ao fundo.

DSC01511.jpg

A Basílica de São Pedro:

DSC01514.jpg
DSC01521.jpg

Publicado por alexpt 15:00 Arquivado em Itália

Envie por email este textoFacebookStumbleUpon

Índice

Comentários

A moça gostou foi de você, vê lá se turista ganha comida assim do nada, rs...

por Enaldops

Comments on this blog entry are now closed to non-Travellerspoint members. You can still leave a comment if you are a member of Travellerspoint.

Informe abaixo os detalhes da sua conta no Travellerspoint

( O que é isso? )

Se você não é ainda um membro do Travellerspoint, inscreva-se grátis.

Inscreva-se no Travellerspoint